sábado, 12 de novembro de 2016

Reinvente-cí!

Olá pessoal!

Como estão?

Já faz mais de um ano desde a última vez que escrevi por aqui. Vida que segue! Várias coisas aconteceram nesse período, muitas coisas boas, perdas difíceis, muitos aprendizados.

Em relação ao linfoma está tudo na mais perfeita paz. Já são quase 4 anos sem quimio e sem nenhuma sequela.

Ainda recebo e-mails e comentários aqui no blog e fico muito feliz em poder ajudar.

Hoje, escrevo minhas peripécias em outro blog www.reinventeciblog.wordpress.com .
Me acompanha lá!

O câncer foi só um capítulo dessa vida linda, tenho muito mais a compartilhar.

Um super bjo

domingo, 23 de agosto de 2015

O que o linfoma me trouxe pra sempre

Oi gente linda, como estão?

Não cumpri minha promessa de fim de ano, né? Que era passar aqui uma vez por mês. Prometo que no fim deste ano não prometerei nada hahahahaha
Já pensei em encerrar as atividades do blog, fazer uma despedida, mas penso: e se me der na telha de escrever alguma coisa?
Então gente, ele continua aqui, sem postagens regulares, mas com todas as postagens que o meu coração pedir.

No primeiro ano do blog, todos os dias eu acessava o www.blogger.com e lia todas as novas postagens dos blogs que acompanho. Era como acessar o facebook ou instagram, um vício diário.
Com o tempo, esses acessos começaram a ficar espaçados e hoje passo muito tempo sem me atualizar dos blogs que sigo.

Hoje, fiz uma leitura em muitos deles, e me senti emocionada em vários relatos que vi. Gente que continua a vida sem câncer e cheia de coisa boa. Gente enfrentando novamente a doença, se separando, tendo filhos, viajando... Me coloquei no lugar de todas as pessoas, me emocionei com tudo. Com o bom e com o ruim.

Antes do assunto título da postagem, aviso que estou muito bem. Fiz controle em julho e todos os exames de sangue estavam ótimos. Tenho pequenos linfonodos palpáveis na virilha e próximo à mandíbula, a médica tem acompanhado e não vê necessidade de PET ou biopsia por enquanto. Me caso em 6 dias. Já estive ansiosa, tranquila, mas na média estou uma noiva calma. Hoje me bateu um frio na barriga e uma tremedeira. Faz parte, né? 

Agora, vamos ao tópico principal: O que o linfoma me trouxe pra sempre?

O diagnostico e o tratamento do linfoma me trouxeram muitas coisas, muitos sentimentos. Algumas foram passageiras e outras realmente ficaram como aprendizado. Mais coisas foram embora, mas o que ficou foi realmente significativo.

Ele me trouxe um medo enorme de planejar o futuro e me frustar com as expectativas canceladas. Porém, em alguns meses esse medo passou, voltei a ter planos, mas carrego para sempre a consciência de que não tenho o controle de fazer tudo dar certo. Posso ter que adiar o que planejei, e isso é normal e acontece na vida de todo mundo. Aprendi a não sofrer tanto por isso.

Ele me trouxe uma paciência enorme com os probleminhas do dia a dia. Trânsito, fila, troco errado...nada disso é problema quando sua saúde está abalada. Me trouxe também uma falta de paciência com os alvoroços por pequenas coisas e futilidades das pessoas. Na época, eu não conseguia ver um blog de maquiagem ou moda. Como assim, eu tava me enchendo de droga, enjoada, com medo e fulana de tal estava revoltada porque o rimel da marca XYZ borrava? Não tinha saco mesmo. Massss boa parte disso passou. Hoje eu estresso com trânsito novamente e até sigo instagram de maquiagem. 

O que ficou disso? Ficou uma gratidão imensa pelas pequenas coisas e uma olhar mais ameno sobre os problemas. Tento reclamar o minimo possível e evito julgar as pessoas (ô trabalho dificil). Me pego agradecendo por coisas que passam despercebidas no dia a dia. E não é um pôr do sol não, é um pão francês ou uma margarina mesmo.

Ficou pra sempre uma pressa de viver. Muito grande! Talvez seja essa a maior diferença da Cíntia antes e depois do linfoma. Sei o quanto a vida é curta e quanto precisamos aproveitar as fases boas que ela nos proporciona. Eu quero tudo de uma vez e quero AGORA, hahahaha.

O linfoma me trouxe um outro olhar sobre o paciente oncológico, para sempre. Sem estigma, sem sentença. Acredito na cura verdadeiramente, e em todas as possibilidades da medicina e da fé. Aprendi, para sempre, que sou humana e que posso ser fraca. Não preciso ser forte o tempo todo e resolver tudo. Posso chorar, posso pedir arrego, posso ficar triste pelo cabelo perdido. (Isso quem me ensinou foi a terapia oncológica)

Resumindo: se você está iniciando seu tratamento, saiba que muitas coisas vão mudar. Mas que a maioria delas vai voltar ao normal quando você estiver bem novamente. Acontecerá aos poucos e sutilmente. Tente agarrar e levar pra sempre as melhores mudanças. Você com certeza sairá uma pessoa muito melhor quando a tempestade passar.

Bjos





segunda-feira, 8 de junho de 2015

Maio já foi...

Gentemmm,

Tudo bem?
Estou atrasada, né? Devendo o post do mês de maio...
Mas o meu sumiço é sempre coisa boa, pois fico entretida com a vida e os afazeres, o tempo passando muito rápido e muita coisa legal acontecendo. Tem horas que dá vontade de colocar a vida em câmera lenta, só pra poder usufruir melhor o que vem acontecendo.
O último controle foi feito em fevereiro, e devo retornar para consulta no próximo mês. Estou ótima, sem alterações na saúde.
No começo de maio viajamos para Aracaju - SE e passamos uma semana de vida boa na praia, comendo bobagem, tirando cochilo da tarde (dá saudade só de lembrar), passeando, descansando. Passei esses dias todos sem ter que resolver nada ou me preocupar com alguma coisa. Desliguei mesmo!




Agora, durante o voo de volta eu já estava planejando tudo que precisava resolver, principalmente para o nosso chá de panela. Deu um trabalhãoooo, mas foi um dos melhores dias da minha vida. Foi muito legal receber as pessoas, perceber que elas realmente estavam felizes em participar daquele momento, foi muito melhor que festa de aniversário!





Tem quase um mês que não faço mais atividades físicas (só o pilates uma vez por semana), e estou um tiquinho decepcionada comigo mesma. Tenho deixado a preguiça tomar conta deste corpinho. Mas, reunirei a força do fundo do meu ser para retornar às atividades. Apesar desse mês de abandono, estou com um peso legal, até diminui a numeração da calça, coisa que nunca havia acontecido, desde que me entendo por gente! Estou separando as calças folgadas, para decidir o que apertar e o que doar.
No trabalho nada mudou, mas eu mudei e estou levando as coisas mais numa boa. Esperando o tempo certo das mudanças acontecerem.
É isso gente! Um excelente mês de junho, aproveitem as festas juninas!


Bjos =)

quarta-feira, 1 de abril de 2015

2 anos sem quimio!

Bom dia gente!!!

Que dia mais feliz! Dia em que completo 2 anos do fim da quimioterapia! Tivemos grandes emoções nesses dois anos, mas os últimos meses estão mais tranquilos. E passando rápido! Gente, como minha vida está voando!

Mas isso é bom, pois quando a vida passa rápido quer dizer que não temos grandes problemas. E eu continuo com pressa, de realizar, de viver, de sonhar...

Houve um tempo em que eu não conseguia mais planejar o futuro, tinha medo de me decepcionar, tinha medo da doença voltar e não poder realizar aquilo. Quando me vi doente em 2012, o mais difícil foi me desfazer de todos os meus planos e parar para fazer o tratamento, totalmente incerto, sem saber como e quanto eu poderia voltar ao normal.

Hoje esse medo já foi embora. Venho preparando o casamento com mais de um ano de antecedência (doida pra que chegue logo!!!), penso na viagem de aniversário, planejo o reveillon, quero comprar ingressos para as olimpíadas do ano que vem...

Mas há duas coisas diferentes no meu planejar agora: a primeira é que também vivo muito o hoje e o agora, não fico só sonhando o futuro. A segunda é que tento me preparar para as decepções. Aconteceu um imprevisto e vamos cancelar a viagem? Ok. Vamos perder algum dinheiro com isso? Blz. Não tinha como adivinhar. 

O que não dá é pra eu continuar com medo de sonhar, de planejar, apenas pelo medo do imprevisto. Porque na maioria das vezes, tudo ocorre como planejamos, e se não der, pelo menos nós tentamos.

Que venham muitos e muitos anos de saúde, alegria e de transformação! Porque a mudança (pra melhor) é uma das maiores alegrias!

Bjs

quarta-feira, 18 de março de 2015

18 de março de 2015

Oi gente!

Já chegamos a metade de março, opa lêlê... Casamento chegando!
Estamos com praticamente tudo pronto, só faltando os acertos finais, e acredito que a correria irá começar nos dois últimos meses, pois tem coisas que não tem como resolver antes.
Confesso que agora, com quase tudo pronto, minha vontade é de que chegue logo o grande dia.

Enquanto isso, tenho preparado coisas para o meu chá de panela, que deve acontecer no último sábado de maio. Será bem simples, um arraiá de panela, mas estou bem animada.
Também estamos fazendo um curso de noivos, com oito encontros, hoje vamos para o quarto encontro do curso. Eu estou gostando muito, espero que o noivo também, já que a ideia desse curso mais longo foi minha, rs.

No final de fevereiro foi meu momento de fazer os exames de controle. Fiz apenas exames de sangue, e está tudo muito bem graças a Deus. Fiz um hemograma completo, Desidrogenase Latica, Ureia, TGO, Bilirrubina total e fracionada, VHS, TGP, Creatinina, Beta Microglobulina.
A hematologista aumentou o espaço entre os controles, de 3 para 4 meses. Eu pensando que ela ia espaçar pra 6 meses, mas tudo bem, vamos lá. Continuo sentindo o linfonodo pequeno no pescoço, que está do mesmo tamanho desde agosto do ano passado.
No mais, sigo a vida normalmente, sem qualquer reclamação referente ao tratamento ou à doença. Em 12 dias completo 2 anos sem quimio.

Estou praticando as atividades físicas e também fazendo acompanhamento com a nutricionista, perdi 4,5 kg em dois meses e meio. Fiz um teste de bioimpedância e tenho muita, mas muita gordura mesmo acumulada neste corpinho. São 37% de massa gorda, quando a media seria entre 24 e 25%.
Mas dia a dia tenho tentando diminuir essa gordura e ganhar massa magra. Qualquer diminuição de gordura já é uma vitória. Volto para reavaliar em 3 meses.

No trabalho as coisas continuam na mesma, não consegui mudar de área e estou bem desmotivada. Isso me traz uma crise existencial, de não saber que caminho seguir para me sentir realizada profissionalmente. Acho um extremo desperdício passar a maior parte do seu dia fazendo algo que não te faz feliz, ou pior, que te faz infeliz mesmo. Alguns vão achar que trabalho é assim mesmo, e cabe a gente aguentar e esperar pelo fim de semana e pelas férias. Mas para mim não dá, preciso ser feliz todos os dias, e não só aos sábados e domingos. No meio disso tudo, há ainda uma crise maior: a de estar sendo ingrata. Neste momento, há milhares de pessoas com a bunda na cadeira, estudando feito loucos, para conquistar o que eu tenho. Inclusive meu noivo. E eu estou aqui reclamando publicamente do meu trabalho.

Na semana passada tive vontade de chorar no meio de uma reunião, ver aquele assunto debatido, debatido, debatido e rebatido, e não se resolve nada, não se chega a conclusão nenhuma. No serviço público costuma ser assim, reunião para marcar reunião, burocracia sem fim. Enfim, é um desabafo, não vejo hoje uma forma de abandonar este trabalho, já que na iniciativa privada não vou ganhar nem a metade do que ganho atualmente, mas vou encontrar uma forma de melhorar esse 1/3 do meu dia que passo trabalhando.

bjs



segunda-feira, 2 de fevereiro de 2015

Carnaval chegando, como foi seu janeiro?

Oi gente! Como estão?
Janeiro se foi, e o que você fez nestes primeiros dias do ano?
Que planos e promessas fez para 2015?
Li em algum lugar pela internet, que 95% das pessoas desistem de suas promessas de fim de ano até o dia 15 de janeiro. Depois de duas semanas, o novo volta a ser velho novamente e toda a perspectiva de mudança projetada para o novo ano é deixada de lado.
Na verdade, eu acho que as pessoas esquecem que são elas as responsáveis por suas mudanças. O marco no calendário pode até ajudar, como um rito de passagem, dar nova esperança, mais vontade e mais coragem, mas a mudança no calendário sozinha não é capaz de nada.
Essa semana mesmo no facebook li uma postagem assim: “Fala sério 2015, já tá ruim assim? Não acredito que será pior que 2014!”. Oi? O calendário tem culpa de alguma coisa? Você tem feito algo para mudar o seu ano? O seu mês? O seu dia?

Eu tenho apenas três pretensões para 2015, e nem passei perto de pensar em abandoná-las.
1-Cuidar de mim! Cuidar da alma, do interior, do espirito. Estar mais presente na religiosidade, na oração, nas terapias alternativas, respirar melhor...
O que já fiz pra isso: respiro e conto até 10 sempre que a paciência falta. Tento agradecer todas as vezes que penso em reclamar. Fui a um grupo de oração diferente, pretendo conhecer outros.

2-Cuidar de mim! Cuidar do corpo, da alimentação, dos exercícios físicos e da balança. Ganhei 3 kg nos dois últimos meses do ano, e estava um tanto insatisfeita com a pancinha pulando da calça. Em um mês comendo melhor e me exercitando perdi esses 3kg. Até o casamento quero perder mais 3, pra arredondar os 60, e ficar melhor ainda no vestido de noiva.

3-Ser feliz com meu trabalho! Não ando satisfeita com meu trabalho e diversos fatores contribuem pra isso. Com a falta de motivação, não rendo como queria e deveria e tudo que preciso fazer é um sacrifício, é chato e etc. Passamos cerca de 1/3 do nosso dia no trabalho, e estar insatisfeito afeta nossa vida de forma geral. Não quero continuar assim, ou convivo de forma mais tranquila fazendo a mesma coisa ou mudanças são necessárias. Já fiz minha primeira tentativa, que foi um processo seletivo para mudar de setor, porém não fui a escolhida. Massss... continuo buscando. Enquanto isso respiro fundo e vou levando da melhor maneira que conseguir.

É isso gente! Um excelente carnaval!

Bjs



quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

Adeus ano velho, feliz ano novo...

Desde 2012 criei o hábito de acompanhar vários blogs, sobre temas que foram me interessando ao longo do caminho. Alguns contando a história de pacientes de linfoma ou não, sobre roupas compradas na China, sobre culinária, bordados e mais recentemente sobre casamentos.

Algo comum entre os blogs é que as postagens começam a ficar mais raras quando o escritor se distancia do assunto. Também é nítido perceber que escrever não é tão fácil assim, e ter um blog perene é realmente um 'trabalho'. Foi o que aconteceu comigo em 2014. O linfoma se distanciou e os posts também ficaram mais escassos. No segundo semestre mais ainda.

Mas há outra coisa que aprendi nos blogs que acompanho: eu amo quando as pessoas sumidas reaparecem e contam como estão suas vidas. Me dá uma sensação de felicidade saber que está tudo bem, que os exames de controle estão sob 'controle', que elas vão casar, que elas vão ter um filho, ou simplesmente que elas compraram um lindo jogo de jantar novo.

Por isso, em 2015 pretendo escrever pelo menos uma vez ao mês. Contando como anda a vida pós- linfoma. Vamos deixar o blog mais atualizadinho, né?

Que em 2015 possamos realizar nossos sonhos diários, planejar sem deixar o hoje acontecer, dar importância às pequenas coisas, nos importar menos com os bens materiais. Que em 2015 as lutas contra o câncer possam ser mais cheias de esperança, que nos momentos difíceis cada um possa se apegar a Deus e crer em dias melhores. Que as medicações façam seu trabalho e tragam a cura a tantos que esperam.

Para finalizar deixo alguma fotinhas do ensaio que eu e Bruno fizemos em Aracaju em novembro. Sempre sonhei com fotos românticas na praia, e realizei um sonho neste dia. Eternizamos o amor em lindas imagens. Sou grata e feliz por ter realizado algo que pode parecer tão pequeno, mas que só foi possível porque Deus permitiu, assim como todas as coisas que acontecem em nossa vida!

Feliz 2015!!!












Se você for à Aracaju e quiser um ensaio lindo assim, procure o Marcelo Sousa e a Joelma Cedraz. Fotógrafos maravilhosos e hiper profissionais. Nunca imaginei ter fotos tão lindas. Mais que fotógrafos ganhamos amigos, foi um imenso prazer conhecer toda a família do Marcelo.

No site vocês consegue conhecer melhor o trabalho e entrar em contato www.msousafotografias.com.br.




segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Post Curtinho!

Oi gente!

Estou há algum tempo sem postar e venho rapidinho apenas dizer que está tudo bem.
A retirada do cateter foi a finalização de um ciclo, eu não tinha imaginado o quanto a pequena cirurgia refletiria nos meus próximos dias. Me sinto mais leve, mais desligada da palavra linfoma, virei uma página e muita coisa ficou para trás.

Percebi que me curar da doença, me trouxe a necessidade de curar outras coisas em minha vida e é nisso que tenho trabalhado. Lentamente, trabalho de formiguinha, errando e acertando, refletindo, entendendo e ficando feliz por entender. Há muitas curas necessárias em sua vida, e muitas vezes você nem as percebe. O câncer veio como uma bomba, mas limpou um grande terreno para que eu pudesse renascer.

Continuamos com os preparativos do casamento e vi que minha ansiedade é fichinha perto dos desesperos das outras noivas, rs. Tudo está caminhando e estamos muitos felizes em preparar esse momento. Só que minha euforia inicial de escrever sobre o processo casamentístico diminuiu bastante, e não estou com muita disposição para relatar por aqui como tem sido a escolha dos nossos fornecedores. 

Estou tão desligada que nem sei quando devo voltar à hematologista, acredito que seja no próximo mês. Engavetei tudo, não sei nem se ela já me deu pedidos de exames ou se tenho que buscá-los. Enfim, depois de mais de 2 anos, relaxei. Relaxei no sentido de não ficar preocupada fora do tempo, mas não quer dizer que eu não vá me cuidar. Só que agora esse cuidado está mais leve, e menos ansioso.

Um bjo a todos =)

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Como uma onda...

"Nada do que foi será

De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito"


Lindas e sábias palavras da música do Lulu Santos, assim mesmo é a nossa vida, um ir e vir infinito. Vivemos ciclos, momentos bons, prazerosos, calmos e outros mais difíceis, complicados, tristes. Nada é permanente, nem a felicidade e nem a tristeza.

Nossa noção de tempo também é diferente em cada etapa da nossa vida, um dia triste é longo, meses de tratamento parecem anos, minutos de aflição se assemelham a muitos dias de ansiedade. Já os momentos felizes passam voando, nem percebemos o tempo passar ao fazer algo que nos dá prazer.

Minha vida tem voado. Os dias têm passado apressados por mim, quando vejo já chegou a noite e é hora de se preparar para um novo dia. Tudo está tão perfeito, que queria o relógio cronometrasse os meus dias mais devagar, com mais paciência.

Eu estou com saúde, meus familiares estão com saúde. Preparo um casamento lindo e simples com a pessoa que amo. Meu trabalho me sustenta bem, não me falta nada. Não há luxos, mas há simplicidade que me traz uma felicidade infinita. 

Hoje, só quero que essa onda dure, fique assim por mais um longo período, me deixe agradecer por toda essa paz que tenho sentido. Probleminhas? Sim, eu os tenho. Mas não há nada que seja importante de verdade e nem que não tenha solução.

É isso!

Bjs

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Atualizando...

Meninos e meninas, tudo bem?

Fiquei aqui procurando um título para o post, mas pretendo falar sobre tantas coisas, que só posso dizer que estou atualizando vocês das coisas que estão acontecendo em minha vida.

A retirada do cateter foi um sucesso, não teve dor nem para tirar os pontos. Minha cicatriz do cateter é meio feinha, escura, e já marquei uma dermatologista para tentar amenizá-la um pouco. Nada que me incomode horrores, mas se tem como melhorar, por que não?

Passei 15 dias de férias do trabalho, e não viajei, apenas fiquei pesquisando e visitando fornecedores para o casamento. Fechamos contrato com o fotógrafo, com a banda da cerimônia e para as lembranças dos convidados. Essa parte dos preparativos é muito gostosa, e embora seja um pouco trabalhosa, é gratificante escolher os fornecedores que possuem o perfil que você quer dar ao seu casamento.

Comecei também a ir às lojas de vestido de noiva, dizem que não é a noiva quem escolhe o vestido, é o vestido quem escolhe a noiva. Pois bem, já fui a 10 lojas  e esse vestido ainda não me escolheu, e pra falar a verdade nem sei se ele vai me escolher. Gostei de alguns, já tenho mais ou menos um estilo formado, um modelo que me cai bem. Me achei linda em vários dos vestidos, mas paixonite ainda não rolou não. Já até pensei em mandar fazer, pois os modelos que tenho gostado são mais simples, e o preço dos alugueis não está muito atrativo (na faixa de 4 mil).

Voltei à terapia, percebi que preciso resolver alguns conflitos, que são antigos e que venho guardando ao longo dos anos. Resolver nossas "pendências" emocionais é um grande passo para vivermos melhor, e também com mais saúde.

Mudando de assunto, recebi um presente da minha querida amiga Alessandra, nos conhecemos apenas virtualmente por intermédio do blog, mas há um carinho imenso entre nós. A Alê fez um jogo americano super delicado e lindo, produzido nos intervalos de sua quimioterapia de preparação para o transplante. Imagine, alguém recebendo altas doses de quimio e se preocupando em te mandar um presente! Só a tenho a agradecer querida, estou aqui acompanhando e torcendo dia a dia por seu TMO. Finalizo com as fotos do meu lindo presente!  Bjs